segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Paralelamente Sorticída

Ele não queria escrever simples versos apaixonados.
Queria algo grande.
Queria, realmente, impressiona-la.
Queria impressionar o mundo versificando o que sentira.
Mas ele se sentia pequeno demais pra isso.
Tinha frio demais em sua barriga, para fingir calma, diante da ansiedade.
Ele não tinha mais balas.
Nem uma corda.
Ou remédios não receitados.
Pensou que talvez pudesse se acalmar com algum vício popular destrutivo.
Pensou que, talvez, pudesse tentar aprender a voar e esquecer que não tem asas.
Algum tipo de sonho fez-se presente muito mais do que a imensa vontade de partir.
Ele queria ficar.
Apesar de doer.
Apesar de Queimar
Apesar de agir na contramão de sua estrada.
Talvez não houvesse estrada.
Talvez ele acordasse.
Mas estava frio demais
e ele só queria um cobertor
Ele pensava se,talvez, ela o teria.
Ele pensava se, talvez, o passado pudesse virar apenas uma palavra num dicionário esquecido.
Pensava na poesia
e já não sorria.
Queria paz mas procurava confusão.
Mas ainda era setembro.
e ele queria parar o tempo ali.
Queria se esvaziar.
cada pedacinho vazio seu estava se preenchendo
e ele só queria sentar.
Descansar os joelhos,
Congelar os olhos dela num momento de encanto que ele não enxergara em si,
Gravar a foto daquele sorriso em suas retinas.
Ele queria um bom vinho.
Mas não queria mais tanta insanidade.
Queria controle, e não cobiçar algum tipo de falsa liberdade.
Queria livros mas não queria ler.
Talvez achasse que uma realidade alternativa era uma caverna muito escura
onde, talvez, ele tenha entrado por espontânea vontade.
Ele perguntava da chuva,
Da maré,
Da janela,
As coisas simples que ele complicava.
Ele queria de volta, talvez. 
Ele queria um papel e um lápis.
Ele não queria escrever simples versos apaixonados.
Queria algo grande.
Mas não sabia onde ou como guardar, receber ou repassar.
Ele queria uma vida sobreposta na sua.


Menino Poeta


3 comentários:

  1. Esse homem é imenso, grandioso e belo, muito belo.

    ResponderExcluir
  2. Caramba.
    Lindo, simplesmente, lindo!
    Você é muito bom ao escrever, sério mesmo. Tem talento!
    Parabéns!!!
    Sabe, me lembrou algo que escrevi certa vez, mas não por isso, achei incrível.

    Um abraço,
    Jhosy

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir